Uma “guerra virtual” no Facebook de Cristiano Ronaldo

Portugal e Israel empataram 3-3. Um resultado que talvez ajude os fãs israelitas e palestinianos a superar o “conflito” gerado por uma foto de CR7. (Ler mais | Read more…)

A foto e a legenda que geraram polémica na página de Facebook de Cristiano Ronaldo. © Direitos Reservados | All Rights Reserved

A foto e a legenda que geraram polémica na página de Facebook de Cristiano Ronaldo
© Direitos Reservados | All Rights Reserved

Uma foto que Cristiano Ronaldo colocou na sua página de Facebook, ao lado de outros jogadores da selecção de Portugal – Silvio, Pepe e Miguel Veloso – na véspera do jogo com Israel, desencadeou o que o jornal hebraico Ha’aretz descreveu como “uma guerra virtual no Médio Oriente”.

Até à hora em que esta notícia foi escrita, mais de 300 mil pessoas “gostaram” da imagem na página de Facebook de Cristiano Ronaldo, mais de 55 mil comentaram e mais de dez mil partilharam-na nos seus murais, mas a legenda, em inglês, “Great morning in Israel with my colleagues” (Grande manhã em Israel com os meus colegas) motivou uma reacção virulenta por parte dos fãs palestinianos.

Alguns deram-se ao trabalho de escrever centenas de vezes: “Palestina”, seguida do símbolo de um coração. “Sou da Palestina. Amo-te Ronaldo. Diz que estás na Palestina ocupada, no lugar dos meus antepassados”, pediu outro, gerando o aplauso de 600 seguidores do jogador.

Outro, mais indignado, incitou: “Vai para casa Ronaldo, és um bêbado. Isto é PALESTINA!” Mais afável, alguém identificado como Ahmed Alraei deixou esta mensagem: “Liberdade para a Palestina. Bem-vindo à Palestina CR7.”

Em Novembro de 2012, o jogador que se transferiu do Manchester United para o Real Madrid por 93,9 milhões de euros deixara exultantes os palestinianos quando decidiu doar 1,5 milhões a crianças e escolas na Faixa de Gaza, depois de ter ganho uma Bota de Ouro, leiloada pela fundação do clube espanhol.

Já em 2010, o madeirense que iniciou a carreira no Sporting vendera uma grande parte do seu calçado desportivo para financiar escolas no território fronteiriço com o Egipto e governado pelo movimento islâmico Hamas, onde nada ou ninguém entra sem autorização de Israel.

Cristiano Ronaldo durante o jogo Portugal-Israel, em Ramat Gan, tentando afastar o jogador Eitan Tibi. O resultado foi um empate. @DR (Direitos Reservados | All Rights Reserved)

Cristiano Ronaldo durante a partida entre as selecções de Portugal e de Israel, em Ramat Gan, tentando afastar o jogador Eitan Tibi. O resultado foi um empate
© Direitos Reservados | All Rights Reserved

Quanto aos fãs israelitas, reagiram igualmente, talvez mais aos comentários dos palestinianos do que à foto da polémica. “Isto é ISRAEL e não Palestina”, sublinhou um. Outro desafiou: “O que é a Palestina? Isto é Israel!” Sem tomar partido, Mark Pik interveio para sossegar os ânimos, com esta observação: “Não creio que ele tenha querido iniciar um debate político.”

É significativo que todo este fervor tenha coincidido com a visita do Presidente dos Estados Unidos – quase tão (ou menos) popular do que Ronaldo e ambos guardados por dezenas de guarda-costas.

Num centro de congressos repleto de jovens, Barack Obama fez um discurso, unanimemente considerado brilhante, apelando a israelitas e palestinianos que não desistam da paz, não obstante os sacrifícios que ambos têm de fazer para viabilizar a solução de dois Estados.

O jogo da selecção decorreu no Estádio Nacional de Ramat Gan – os mais de 40.000 lugares estavam ocupados –, uma cidade nos arredores de Telavive criada por judeus sionistas em 1921 – antes da declaração de independência do Estado de Israel em 1948. Começou por ser uma moshava, comuna agrícola e, hoje, é um dos maiores centros mundiais de comércio de diamantes e de indústrias de alta tecnologia.

Com a foto que gerou controvérsia no Facebook, o avançado que em 60 partidas, nesta temporada ao serviço da equipa dirigida [até regressar ao Chelsea, em Junho de 2013] por José Mourinho, marcou 50 golos, obteve mais publicidade do que imaginava. Como notou o Ha’aretz, o novo videojogo em que CR7 é protagonista, e que começou a ser promovido no mesmo dia, não chegou aos 40 mil “gostos”.

Pictures taken after Portugal's match with Israel last week have cast fresh doubt on suggestions that star player Cristiano Ronaldo is a Palestinian sympathiser. Footage of Ronaldo walking straight off the pitch after Friday's match, without swapping his shirt, appeared to suggest that the Real Madrid winger was deliberately snubbing Israel. The footage, which was shared by IBTimes UK, attracted over 700,000 hits on YouTube and attracted dozens of comments from Palestinian supporters who supported Ronaldo's actions. But Israeli captain Yossi Benayoun has posted a picture of himself with Ronaldo in the Portuguese dressing room, captioned: 'What a great person and a great player!' ©

Em Março de 2013, fotos e um vídeo, que atraiu mais de 700 mil visitantes, mostravam Ronaldo a caminhar no relvado, depois do jogo com Israel, sem o gesto cordial de trocar a camisola com um atleta do país anfitrião. Alguns entenderam isso como uma demonstração de apoio aos palestinianos, depois da polémica da imagem no Facebook. Posteriormente, o capitão da selecção israelita,  Yossi Benayoun, partilhou nas redes sociais esta imagem sua, ao lado do português, com a seguinte legenda: “Que pessoa extraordinária e que grande jogador!”
© Direitos Reservados | All Rights Reserved

Este artigo, agora actualizado, foi publicado originalmente no jornal PÚBLICO em 22 de Março de 2013 | This article, now updated, was originally published in the Portuguese newspaper PÚBLICO, on March 22, 2013

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s